Dicas e Curiosidades sobre Berlim

  • Café da manhã (Frühstuck): Os berlinenses adoram tomar café da manhã na rua de maneira que a maior parte dos cafés e até restaurantes oferece diversas modalidades e promoções até às 3 da tarde. Ah, e flores são sempre fundamentais em todas as mesas, frescas e de verdade!

 

  • Gorjetas: é costume dar em média 10% de gorjeta para os garçons, mas esse valor nunca vem incluso na conta. Quando o garçon vier com a fatura, veja quanto deu e diga a ele quanto quer pagar (exemplo: se o valor for € 27,90 você pode dizer que € 30 está ok).

 

  • Broncas: não se assuste se você fizer algo errado sem querer e ganhar uma bronca de um alemão como se ele fosse a sua mãe nos dias de brabeza extrema. Não é nada contra você, o jeito deles é assim mesmo. Peça desculpas e relaxe.

 

  • Comidas típicas: Experimente o curry-wurst (uma linguiça cortada em rodelas com catchup e curry por cima que pode ou não ser acompanhada de fritas) ou o donner kebab (na verdade, um prato típico turco, mas é que 10% da população da cidade vem de lá). No Brasil é conhecido como churrasco grego. Ah, a bebida que você não pode deixar experimentar também é a Berliner Weiße, uma mistura de cerveja com um xarope colorido (pode ser verde ou vermelho).

 

  • Cabine de fotografias: as cabines de fotografias são uma instituição sagrada, você não deve visitar a cidade sem tirar umas fotos para levar de lembrança. Por € 2 euros você tira 4 fotos (diferentes) em P&B e é super-divertido; preste atenção quando estiver andando pela rua, a cidade está cheia delas. Só tem que ter paciência para esperar, pois elas demoram até 10 minutos para ficar prontas!

 

  • Ampelmann: se você é uma pessoa muito observadora, ao caminhar pela cidade vai perceber que alguns “homenzinhos do semáforo” têm chapéus e outros não. É que na antiga Berlim oriental, os homenzinhos todos usavam chapéu. Com a queda do muro, era possível ver de que lado da cidade se estava só observando os semáforos (hoje já está tudo misturado). Para homenagear o tal homenzinho, foi criada uma marca (Ampelmann é literalmente “homem do semáforo” em alemão) que é um case de sucesso, com várias lojas espalhadas pelo país. Eles conseguiram aplicar a marca em tudo, de macarrão a borracha, de chaveiro a roupinha de bebê. Uma ótima alternativa às lembrancinhas convencionais.

 

Atravessar com o sinal vermelho: por falar em Ampelmann, você vai ver muitos pedestres atravessando a rua com o sinal vermelho (a maioria turistas), mas resista bravamente à tentação. Já conheci pessoas que se deram mal e presenciei um guarda multando em € 80 um apressadinho desses. E com guarda aqui não tem conversa, nem adianta desperdiçar seu charme ou dizer que não sabia: lei é lei e não se discute.

 

  • Extensão das lojas nas calçadas: uma coisa que estranhei bastante quando cheguei foi o fato das lojas colocarem seus produtos à venda nas calçadas sem nenhum leão de chácara cuidando. Isso inclui remédios, sapatos, roupas, produtos de limpeza, flores e até bijuterias. Ninguém rouba. Muito bacana!

 

  • Sofás e cadeiras na frente das lojas: sim, os cafés e restaurantes sempre têm mesinhas nas calçadas, mas as lojas de roupas, decoração, cabeleireiros e artigos/serviços diversos também. O povo adora tomar um solzinho quando tem, seja cliente, seja o vendedor ou dono do negócio.

 

  • Plaquinhas no chão: quando caminhar pelas calçadas, se conseguir tirar os olhos dos vasos de flores das mesinhas, repare que em alguns lugares há umas plaquinhas de cobre com dizeres. São obra de um artista berlinense chamado Gunter Demnig, que registra os nomes, datas de nascimento e data de expulsão e execução dos judeus que moravam exatamente naquele lugar antes da guerra. A gente olha as datas, calcula as idades, infere os graus de parentesco. O projeto chama-se “Stolpersteine”, ou seja, a famosa “pedra no caminho” que faz você tropeçar e já cresceu para outros países europeus.

 

  • Horário de funcionamento das lojas: aparentemente não há uma regra que estipule os horários em que os estabelecimentos comerciais abrem. Tem loja que abre às 10 h da manhã, outras somente às 11 horas. Tem loja que só abre alguns dias da semana só no período da tarde. De uma maneira geral, todos os serviços têm horários bem bizarros, inclusive os atendimentos de órgãos públicos; é necessário pesquisar direitinho antes de ir. Na cidade inteira (quase 4 milhões de habitantes), há apenas 4 supermercados que abrem aos domingos e nas férias de verão, entre julho e agosto, muitos estabelecimentos simplesmente fecham as portas informando que saíram de férias. Você fica sem padaria, sem restaurante, enfim. Qualidade de vida para o trabalhador em primeiro lugar.

 

  • Numeração das casas e prédios: Não estranhe se o seu aplicativo de mapas se perder um pouco em Berlim; é totalmente compreensível. Em algumas ruas, a numeração funciona como em quase todos os lugares: um lado tem números pares e o outro, números ímpares. Só que tem também muitas ruas (não sei a proporção), onde os números crescem de um lado até acabar a rua e depois continuam do outro lado. Assim, o número 2 da rua pode ficar em frente ao 187. Sem falar que há ruas que são interrompidas por parques enormes, fazem curvas e seguem tranquilas com a numeração.

  • Portão de Brandenburg: Esse é aquele típico lugar que faz você perder o fôlego. Ele fica na Pariser Platz e é um ótimo local para você iniciar o seu tour por Berlim. Ele é gigantesco e é também um dos símbolos da cidade de Berlim. Foi construído entre 1789 e 1791 e já foi palco de inúmeros eventos históricos.

 

  • MONUMENTO ÀS VÍTIMAS DO HOLOCAUSTO: Ao lado do Portão de Brandenburgo está o Monumento às vítimas do Holocausto, um local que me impressiona sempre que o vejo. São mais de 2 mil blocos de concreto de tamanhos diferentes. Alguns chegando a 2 metros de altura. Você pode caminhar por entre os blocos de forma respeitosa, pois esse momento simboliza algo realmente muito triste da nossa história. Ele é uma homenagem aos 6 milhões de judeus que foram mortos na Segunda Guerra Mundial, espalhados por campos de concentração.

 

  • REICHTAG (PARLAMENTO ALEMÃO): Uma das coisas para fazer em Berlim que você não pode deixar de ver e entrar, é o Reichtag. Esse prédio, também ao lado do Portão de Brandeburgo, também carrega muito da história de Berlim e da Alemanha. Ali Hitler dava seus discursos. É a sede do parlamento alemão e foi construído entre 1884 e 1894. Ele foi fortemente destruído durante a Segunda Guerra e por isso mistura uma arquitetura antiga com a modernidade de uma cúpula de vidro. A cúpula pode ser vista por dentro, assim como parte do parlamento. Inclusive, o parlamento é iluminado pela luz que entra dali. A visita é bem bonita, mas deve ser agendada previamente. E você pode ainda desfrutar da linda vista do topo da cúpula, tomando um delicioso café no restaurante de lá.

 

  • POTSDAMER PLATZ: Ali perto está o Postdamer Platz, que foi completamente destruída durante a guerra e recosntruída em 1990. É a parte ultra moderna da cidade, com prédios altos e espelhados e diversas lojas de marcas. Ali está o Sony Center, um complexo de lojas, restaurantes e cinemas que você também pode visitar para ver o contraste entre as duas Berlins: a Oriental e Ocidental.

 

  • CHECKPOINT CHARLIE: Também perto do Postdamer Platz está o Checkpoint Charlie. O Checkpoint Charlie era o ponto de passagem entre as duas Alemanhas, um antigo posto militar na divisa antre a Alemanha Oriental e Ocidental. Apesar de estar situado num ponto que foi bem modernizado, ele mostra com atores e fotos como era antigamente, um local interessante para se ter ideia do que foi esse período na história. Ali ao lado você também pode visitar o Museu do Muro de Berlim, que conta ainda mais detalhes de toda a história.

 

  • ALEXANDER PLATZ: A Alexander Platz é um local que não pode faltar no seu tour por Berlim. E é por isso que ele está aqui na lista de coisas para fazer em Berlim. Um lugar vibrante, com inúmeras lojas e também onde fica a Torre de TV. Os prédios ao redor mostram muito a “modernidade” da Berlim Oriental, sem falar que fica perto de Mitte, o bairro artístico da cidade.

  • TORRE DE TV: A Torre de TV é o ponto mais alto da cidade, com 365 metros de altura. Foi inaugurada em 1969 e pode ser visitada do alto, com uma vista impressionante da cidade.

 

  • BERLINER DOM: A catedral de Berlim fica perto da Alexander Platz e é linda! Ela foi inspirada na Basílica de San Pedro, em Roma. Foi construída entre 1894 e 1905 e assim como a maioria dos monumentos da cidade, também foi bombardeada durante a Segunda Guerra, mas depois foi restaurada. Abaixo dela há uma cripta com aproximadamente 100 túmulos de importantes religiosos e personalidades históricas.

 

  • ILHA DOS MUSEUS: A Ilha dos Museus abriga 5 grandes museus na cidade e é considerada patrimônio histórico mundial pela UNESCO. O mais conhecido deles é o Pergamonmuseum, que abriga, em seu interior, um grande templo da Grécia Antiga. Há também o Neues Museum, que também é bem famoso por abrigar o busto da Rainha Nefertiti.

 

  • EAST SIDE GALLERY (MURO DE BERLIM): O Muro de Berlim é uma parada obrigatória a todos que vão para a cidade. Essa é a única atração que fica um pouco mais afastada dos outros pontos, então você pode ir de metrô e descer na estação Warschauer Straße. Essa é uma das estações mais antigas de Berlim, uma também um importante ponto de transição entre as duas Alemanhas. Ele conta com mais de 100 grafittis diferentes e tem uma extensão de 1,3 km, às margens do Rio Spree. Aproveite para passear ao redor, pois essa região é bem interessante também.

 

  • O idioma falado é o alemão, sendo a moeda o Euro e a voltagem de 230V.

Hope Pousada

@hopepousada

@hopepousada

  • Hope Pousada
  • Hope Pousada

    hopepousada@gmail.com

    (22)-2622-8357

    (22)-99841-9193